Octubre-Diciembre

Tabla de contenidos

Artículos originales

Chemical composition and modifying activity of essential oil of Lantana camara L. (wild sage) against Candida strains

Introduction: Fungal infections, particularly those caused by the genus Candida, are an important public health problem. Lantana camara L. stands out among the medicinal species with abundant biological and pharmacological activity.
Objective: Analyze the phytochemical profile of essential oil of L. camara and evaluate its antioxidant capacity and modifying antifungal potential against various Candida strains.
Methods: Identification of the chemical components present in the essential oil of L. camara was performed by gas chromatography / mass spectrometry (GC/MS). Antioxidant activity was determined by elimination of free DPPH radicals. Antifungal activity of the essential oil of L. camara leaves was evaluated by microdilution against Candida albicans, C. krusei and C. tropicalis.
Results: It was found that the essential oil of L. camara leaves is rich in terpenes, mainly sesquiterpenes, (E)-caryophyllene (25.80 %), germacrene D (17.36 %), γ-elemene (7.62 %) and sabinene (6.61 %). The essential oil displayed very low activity in DPPH radical elimination, while it displayed antimicrobial activity against the study strains (MIC ≥ 1 024 μg/ml), but it significantly modified the effect of fluconazole against Candida kruzei and C. tropicalis.
Conclusions: The essential oil of L. camara was found to be a good modifier of fluconazole, but it does not have any relevant antioxidant activity.

Key words: modifying activity, antioxidant activity, wild sage, Lantana camara.

Felicidade Caroline Rodrigues, José Weverton Almeida Bezerra, Nadghia Figueiredo Leite, Antonia Eliene Duarte, Adrielle Rodrigues Costa, Kleber Ribeiro Fidelis, Juliana Lima Silva, Aline Augusti Boligon, Maria Ivaneide Rocha, Luiz Marivando Barros, Henrique Douglas Melo Coutinho, Jean Paul Kamdem, Maria Flaviana Bezerra Morais-Braga
79 lecturas
Hernán Buitrago Zapata, Guillermina Palacios Palacios, Laura Patricia Perea Moreno, Carlos Augusto Hincapié Llanos
38 lecturas
Actividad diurética y antioxidante de los extractos etanólicos de especies vegetales usadas en la medicina popular argentina

Introducción: En Argentina, grandes segmentos de la población recurren a remedios a base de hierbas para combatir distintas enfermedades.
Objetivo: Evaluar la actividad diurética in vivo y la actividad antioxidante in vitro de distintas especies vegetales usadas en la medicina popular en el norte argentino.
Métodos: Se evaluó en ratas Wistar el efecto diurético de los extractos etanólicos de Olea europaea (Oleaceae), Polygonum aviculare (Polygonaceae), Haplopappus baylahuen Rémy (Asteraceae), Quinchamalium chilense Mol (Santalaceae), Tagetes minuta (Asteraceae), Amaranthus chlorostachys Willd (Amaranthaceae), Urtica dioica (Urticaceae), Acantholippia desertícola Phil Moldenke (Verbenaceae) mediante la administración por vía oral de dosis de 500 y 1 000 mg/kg de peso corporal. Se midió el volumen de excreción y la concentración de Na+, K+ y Cl- a las 24 horas. Se determinó el potencial antioxidante con el método de depuración del DPPH y la inhibición de la peroxidación de lípidos mediante el método del β-caroteno.
Resultados: A las 24 h los volúmenes de orina de las ratas tratadas con los extractos de suico y baila bien en dosis de 1 000 mg/kg fueron 3,48 y 4,72 ml /100 g de p. c., respectivamente, mayor que en el control negativo (0,42 ml /100 g de p. c.) (p< 0,05). La relación Na+/K + fue superior a 1 para dichos extractos. En cuanto a la actividad antioxidante, la mayoría de los extractos evaluados presentaron un porcentaje de actividad superior al 50 % en ambas pruebas.
Conclusione: La actividad diurética y antioxidante demostrada en los extractos de H. baylahuen y T. minuta permiten plantear que hay que profundizar en el estudio químico, farmacológico y toxicológico para desarrollar un producto fitoterápico, que constituya una alternativa natural para el tratamiento de la hipertensión arterial, las afecciones renales, las alteraciones hepáticas que presentan ascitis y otras en las que se estén comprometidos el equilibrio hidrosalino y los sistemas de defensa del estrés oxidativo.

Palabras clave: diuréticos; antioxidante; plantas medicinales; T. minuta; H. baylahue; ratas Wistar.

Rodrigo Martín Méttola, Ivana Yanina Brodkewics, Nancy Roxana Vera, Marcos Adrian Reynoso
176 lecturas
Atividade antioxidante e antimicrobiana das folhas e frutos de Citrus limon (L.) Burn (limão siciliano)

Introdução: O Citrus limon (L.) Burn (limão siciliano) é uma importante planta medicinal da família Rutaceae, com origem proveniente da região sudeste da Ásia, dispõe de inúmeros benefícios e vasta aplicação de suas propriedades, seja na cultura popular ou nos mais diversos estudos científicos.
Objetivo: determinar a atividade antimicrobiana e antioxidante das folhas, macerado das cascas e suco in natura de C. limon (L.) Burn.
Métodos: As folhas secas e frutos de limão siciliano foram coletados no povoado Limoeiro, zona rural da cidade de Codó-MA. A metodologia utilizada para atividade antimicrobiana é nomeada como Método de Difusão em Disco (MDD) e Diluição em Caldo. Para avaliação da capacidade antioxidante empregou-se o método ABTS, além da quantificação do teor de compostos fenólicos totais.
Resultados: Os resultados demonstraram que o suco in natura apresentou atividade inibitória satisfatória frente as bactérias Staphylococcus aureus e Escherichia coli testadas, quando comparado aos efeitos do macerado de cascas e extrato das folhas. Todas as partes de C. limon (L.) Burn evidenciaram capacidade antioxidante significativa por apresentarem percentuais de inibição quantificados em 91.62 % a 99.72 % e teores de fenólicos totais entre 116.76 mg e 420.20 mg EAT/g.
Conclusão: As partes utilizadas do limão siciliano demonstram atividade antimicrobiana, antioxidante e elevado teor de fenóis totais, reforçando as informações advindas da medicina popular tradicional e aquelas obtidas nos ensaios in vitro sobre as propriedades do limão. Além disso, seus múltiplos benefícios servem como referência para novas pesquisas envolvendo seu uso nas indústrias alimentícias, química ou farmacêutica, servindo como referência para novas pesquisas envolvendo seu uso nas indústrias alimentícias, química ou farmacêutica.

Palavras-chave: Citrus limon, Staphylococcus aureus, Escherichia coli , atividade antimicrobiana, atividade antioxidante.

Gustavo Oliveira Everton, Maria Gessica Sales da Silva, Amanda Mara Teles, Adenilde Nascimento Mouchrek
23 lecturas
Atividade antibacteriana de extratos de Morinda citrifolia L. (noni) contra Xanthomonas axonopodis pv. Passiflorae

Introdução: Doenças de plantas causadas por bactérias têm resultado em grandes perdas na agricultura e o uso intensivo de agrotóxicos tem levado a diversos problemas ambientais e de saúde. Neste contexto, extratos vegetais representam uma alternativa no combate a diversas doenças de plantas. A espécie Morinda citrifolia L. (Rubiaceae) é uma planta popular na medicina alternativa que possui importantes atividades biológicas.
Objetivo: Avaliar a atividade antibacteriana de extratos aquosos, hexânicos e acetato de etila de folhas e frutos de M. citrifolia sobre o crescimento de Xanthomonas axonopodis pv. Passiflorae e a severidade da mancha bacteriana do maracujazeiro.
Métodos: Os extratos foram obtidos de folhas e frutos de M. citrifolia através do método de maceração dinâmica em agitador orbital a 120 rpm por 48 h, tendo como solventes de extração água destilada, acetato de etila e hexano. Os ensaios foram realizados in vitro e in vivo com os extratos a 10 µg/mL e 1 000 µg/mL, respectivamente. O extrato com melhor atividade foi analisado por Cromatografia Líquida de Alta Eficiência Acoplada com Detector de Arranjo de Diodos e Ressonância Magnética Nuclear de Hidrogênio.
Resultados: No ensaio in vitro, o extrato acetato de etila e hexânico de folhas, e o extrato aquoso, acetato de etila e hexânico de frutos inibiram o crescimento de X. axonopodis pv. Passiflorae. Em casa-de-vegetação, apenas os extratos acetato de etila e hexânico de frutos reduziram a severidade da mancha bacteriana. O extrato hexânico de frutos foi o mais ativo e apresentou um composto majoritário, identificado como sendo da classe dos triacilgliceróis.
Conclusão: O uso de extratos de M. citrifolia representa uma alternativa promissora para o controle da mancha bacteriana do maracujazeiro.

Palavras-chave: mancha bacteriana do maracujazeiro; controle alternativo; Morinda citrifolia.

Luana Cardoso Oliveira, Alessandra Keiko Nakasone Ishida, Clenilda Tolentino Bento da Silva, Patrícia Santana Barbosa Marinho, Andrey Moacir do Rosario Marinho
22 lecturas
Produção de mudas de Ocimum basilicum L. (manjericão) com subtratos orgânicos

Introdução: Ocimum basilicum L. (manjericão) apresenta grandes possibilidades, nas indústrias químicas, farmacológicas, alimentícias e cosméticas. E a produção de mudas é uma das etapas mais importantes do sistema produtivo.
Objetivo: Avaliar o potencial da utilização de húmus de minhoca associado a esterco bovino curtido, na produção de mudas de O. basilicum via estaquia.
Métodos: O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, em quatro repetições. Os tratamentos consistiram em sete substratos, sendo um substrato comercial turfoso e seis composições, utilizando-se do esterco bovino e húmus de minhoca: T1 - Substrato comercial (SC); T2 - 50% SC + 25 % de Esterco bovino curtido (EBC) + 25% Húmus de minhoca (HM); T3 - 25% SC + 50% EBC + 25% HM; T4 - 25% SC + 25% EBC + 50% HM; T5 - 50% EBC + 50% HM; T6 - 100% HM; T7 - 100% EBC. Foram avaliadas as características de taxa de enraizamento, comprimento de raiz e da parte aérea, diâmetro do caule, massa seca da parte aérea e das raízes e o Índice de qualidade de Dickson.
Resultados: A porcentagem de estacas enraizadas não foi afetada de modo significativo pelos tratamentos. O tratamento com 100% esterco bovino curtido apresentou os maiores valores médios para altura de planta, diâmetro do caule e massa seca da parte aérea. O substrato comercial turfoso proporcionou maior índice de qualidade de Dickson seguido pelo tratamento com 50% de substrato comercial + 25 % de esterco bovino curtido.
Conclusão: O esterco bovino curtido proporciona maior desenvolvimento vegetativo, enquanto que a adição de 25% de esterco curtido e 25% de húmus de minhoca ao substrato comercial proporciona mudas de melhor qualidade.

Palavras-chave: Ocimum basilicum L., propagação via estaquia, substrato alternativo.

Luiz Fernandes Cardoso Campos, Eduardo Pradi Vendruscolo, Camila Meira Abreu Campos, Rommel Bernardes Costa, Marivone Moreira Santos
168 lecturas
Chemical composition and antioxidant and antibacterial activity of Ocotea quixos

Introduction: Ocotea quixos (Lam.) Kosterm. ex O.C. Schmidt (Lauraceae) is a plant that grows in the Colombian Amazon Region. It is used in folk medicine as sweetener, eupeptic, tranquilizer, disinfectant and local anesthetic. Its bark is used for arthritis, chronic cold and hydropsy. Its antimicrobial and antifungal activity has also been reported, as well as its properties as antiplatelet, antithrombotic and vasorelaxant agent.
Objectives: Determine the chemical composition and the antioxidant and antibacterial activity of essential oils and methanolic extracts of O. quixos leaves and stems.
Methods: Essential oils from aerial parts (leaves and stems) of O. quixos (Lam.) Kosterm. ex O.C. Schmidt (Lauraceae) were obtained by hydrodistillation and analyzed by gas chromatography / mass spectrometry (GC-MS). O. quixos methanolic extracts were subjected to phytochemical analysis. Antioxidant activity, on the other hand, was evaluated by DPPH, ABTS and FRAP, lipid peroxidation by β-carotene / linoleate bleaching, and antibacterial activity by Kirby-Bauer testing on Sensi-Disc paper disks using the gram-positive and gram-negative bacteria Staphylococcus aureus and Escherichia coli, respectively.
Results: Thirty-four volatile compounds were identified, the most abundant of which was trans-methyl-isoeugenol. The stem methanolic extract had a higher phenolic content and the best antioxidant activity with 65.26 ± 0.01% inhibition in the β-carotene / linoleate bleaching test, whereas the essential leaf oil exhibited the highest inhibition values against S. aureus and E. coli.
Conclusions: The methanolic extracts were found to have greater antioxidant potential and the essential oils greater antibacterial activity, due to the presence of chemical compounds such as a-terpineol and terpinen-4-ol, terpenes characterized by their antibacterial potential.

Key words: Ocotea quixos, chemical characterization, antioxidant properties, antibacterial activity.

Fredy Giovany Ortiz Calderón, Paula Liliana Galeano García, Yudy Lorena Silva Ortiz
138 lecturas
Biometria e quebra de dormência em Dimorphandra gardneriana Tul. (Faveira) (Fabaceae)

Introdução: Dimorphandra gardneriana Tul. (faveira) é uma espécie arbórea pertencente à Fabaceae de ampla ocorrência na Floresta Nacional do Araripe, Ceará, Brasil. Suas sementes apresentam dormência física o que dificulta a sua germinação, o que juntamente com a exploração antrópica de seus frutos em processo de maturação podem desencadear processos ambientais negativos a essa espécie.
Objetivo: Propor um método de quebra de dormência em sementes de D. gardneriana para ampliar o índice de germinação, e realizar a biometria de suas sementes e estruturas de suas plântulas.
Metodologia: As sementes foram coletadas na Chapada do Araripe, Crato-CE, Brasil e os parâmetros biométricos analisados foram das sementes e das plântulas com 16 dias de germinação, os resultados foram expressos na forma de média ± desvio padrão. Para a quebra de dormência foi utilizado dois tratamentos constando de escarificação oposta (EOH) e perpendicular ao hilo (EPH) e um grupo controle (sem escarificação).
Resultados: A biometria das sementes apresentou uma média de 11,86±0,4 mm de (comprimento), 5,53±0,14 mm de largura e 4,22±0,08 mm de espessura, denotando uniformidade entre uma semente e outra. Para a biometria das plântulas não houve diferença entre os grupos tratados. Para a superação da dormência, as sementes com EOH e EPH apresentaram, respectivamente, um Tm de 13,4 e 12,9 dias, demostrando ser uma espécie de germinação lenta, visto apresentar Tm>10 dias, a sua porcentagem de emergência foi de 66,6 % para EOH e 60 % para EPH, enquanto que o IVE das sementes submetidas a EOH foi de 8,593 e a EPH foi de 10,666.
Conclusão: Desse modo as sementes escarificadas perpendicularmente ao hilo germinaram mais rapidamente. Além disso é observado que as sementes de D. gardneriana apresentam uniformidade e uma germinação lenta quando comparada com outras espécies.

Palavras-Chave: Faveira; Chapada-do-Araripe; escarificação.

José Weverton Almeida Bezerra, Maria Arlene Pessoa da Silva, Adriano Pereira Batista, Ana Cleide Alcantara Morais Mendonça, José Fábio de Oliveira Sousa, Marcos Aurélio Figueiredo dos Santos, Viviane Bezerra da Silva
128 lecturas
Produção de óleo essencial de folhas e cascas de Drimys brasiliensis Miers (casca-d’anta)

Introdução: Drimys brasiliensis Miers, conhecida popularmente como cataia ou casca-d’anta, é uma árvore nativa da Mata Atlântica de grande importância fitoterápica. As folhas e cascas da espécie são utilizadas na medicina popular com ação antiescorbútica, estimulante, antiespasmódica, antidiarreica, antifebril, contra hemorragia uterina, antibacteriana, no tratamento de asma, bronquite e em certas afecções do trato digestivo.

Objetivo: Objetivou-se no presente trabalho, avaliar a influência da época de coleta no teor e composição química do óleo essencial de folhas e cascas de Drimys brasiliensis.

Métodos: O material vegetal foi coletado em área nativa, a partir de 15 indivíduos em duas épocas distintas, verão e inverno de 2016. Folhas e cascas foram submetidas à hidrodestilação em aparelho tipo Clevenger durante 4 horas e o teor de óleo essencial foi determinado pesando o óleo extraído e levando em consideração o peso de massa seca, sendo expresso em peso de óleo por peso de material vegetal em Base Livre de Umidade (% p/p BLU). A identificação e quantificação dos constituintes químicos foram realizadas por cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas. Os dados referentes ao teor do óleo essencial foram submetidos ao teste t de Student. Resultados: Não houve influência da época de coleta no teor do óleo essencial de folhas e cascas de Drimys brasiliensis, porém o teor do óleo de folhas (1,09 a 1,39%) foi significativamente superior ao teor do óleo de cascas (0,14 a 0,15%), sendo a composição química dos óleos muito semelhantes. Foram identificados 62 compostos químicos nos óleos essenciais de Drimys brasiliensis, com predominância de monoterpenos. O constituinte majoritário observado foi o α-pineno tanto em folhas (17,73 a 18,44%) quanto em cascas (60,12 a 60,39%). O teor dos óleos essenciais de folhas é altamente superior ao teos dos óleos de cascas, sendo a composição química dos óleos muito semelhantes, sugerindo-se a utilização de folhas em substituição às cascas. 

Renata de Almeida Maggioni, Emilio Romanini Netto, Maria Izabel Radomski, Edilson Batista de Oliveira, Cicero Deschamps, Katia Christina Zuffellato-Ribas
63 lecturas

Articulos de revisión

A review of the chemical composition and biological activity of Leonotis nepetifolia (Linn.) R. Br. (lion's ear)

Introduction: For centuries, medicinal plants have been used to treat a variety of diseases. Leonotis nepetifolia (Linn.) R. Br. is a species native to tropical regions of Africa and southern India which is widely used for medicinal purposes.
Objective: Review the main publications about L. nepetifolia with a chemical and pharmacological approach, and describe the most relevant papers found in the databases.
Methods: Specialized databases were reviewed (LiLacs, PubMed, SciELO, ScienceDirect and Scopus) using the search terms Leonotis nepetifolia, phytochemistry, biological activity and Lamiaceae. Papers were selected whose titles and abstracts were related to the phytochemical characteristics and biological activity of the species, and their full text was analyzed.
Results: Several studies have been conducted of the species L. nepetifolia, verifying its potential use for the treatment of various diseases. In the review, 32 papers were selected which evaluated the biological activity of extracts from the species, and 11 which dealt with the isolation of compounds produced by the secondary metabolism of the plant, showing the anti-inflammatory and antioxidant activity of some of them. Antibacterial, antiviral, antifungal, anticonvulsant, anxiolytic, anticarcinogenic, analgesic, antidiarrheal, antidiabetic, antiplasmodial and anthelmintic activities were the most carefully evaluated, whereas the diterpenes labdane and bis-spirolabdane, flavonoids, fatty acids and esters, iridoids, and phenylethanoid glycosides and coumarins were the most common chemical compounds.
Conclusions: The presence of certain chemical substances accounts for the various potential biological applications of the extracts and compounds isolated from L. nepetifolia for the production of new drugs and phytomedicines.

Key words: Leonotis nepetifolia, medicinal plant, phytochemical, biological activity.

Jackson Roberto Guedes da Silva Almeida, Jackson de Menezes Barbosa, Noelly Bastos Cavalcante, David Marrero Delange
47 lecturas

Comunicación Breve

Thiago Pereira Chaves, Elaine Laíse Cavalcanti Clementino, Delcio de Castro Felismino, Humberto Silva, Jocimar Silva Santos, Ana Cláudia Dantas de Medeiros
109 lecturas