Levantamento etnobotânico de plantas medicinais utilizadas pelos moradores do município de Uruará, estado do Pará, Brasil

Wully Barreto da Silva, Reinaldo Lucas Cajaiba, Mauricio Möller Parry

Texto completo:

HTML (Português (Brasil))

Resumen

Introdução: O uso de plantas medicinais é uma tradição muito difundida nas mais diversas populações, acrescentando informações terapêuticas de cada região, acumuladas durante muitas gerações.
Objetivo:
Relatar o uso de plantas medicinais no município de Uruará, Pará, bem como avaliar os padrões sócio-econômicos dos entrevistados em relação à utilização da fitoterapia no seu cotidiano.
Métodos:
Foram coletadas informações de 258 moradores do perímetro urbano, selecionados aleatoriamente, por meio de entrevistas semi-estruturadas.
Resultados:
Foram mencionadas pelos entrevistados 109 espécies distribuídas em 52 famílias botânicas. As famílias mais representativas foram Fabaceae, Asteraceae e Lamiaceae. A parte mais utilizada das plantas foram as folhas e o decocto foi o modo de preparo mais usual. Dentre as principais afecções tratadas por meio do uso de plantas medicinais, as mais expressivas foram as doenças infecciosas e parasitárias e doenças do aparelho digestivo. Os resultados das correlações entre o número de pessoas por residência e a idade dos entrevistados estão positivamente relacionados com o número de plantas citadas. Em contrapartida, o número de plantas citadas é influenciado negativamente pela renda média familiar e grau de escolaridade.
Conclusão:
O presente trabalho confirma que os moradores que vivem no município de Uruará ainda utilizam plantas medicinais como uma das formas de tratar suas doenças mais frequentes.

Palavras-chave: Amazônia; conhecimento tradicional; medicina popular; etnobotânica.





Copyright (c) 2019 Wully Barreto da Silva, Reinaldo Lucas Cajaiba, Mauricio Möller Parry

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.