Atividade antimicrobiana e caracterização fitoquímica dos extratos hidroalcoólicos de Passiflora cincinnata Mast. (maracujá-do-mato)

Ana Luiza de Albuquerque Siebra, Izabel Cristina Santiago Lemos, Gyllyandeson de Araújo Delmondes, Larissa Rolim de Oliveira, Anita Oliveira Brito Pereira Bezerra Martins, David de Carvalho Siebra, Henrique Coutinho Henrique, Rosimeire Sabino Albuquerque, Nadghia Figueiredo Leite, José Galberto Martins da Costa, Irwin Rose Alencar de Menezes, Marta Regina Kerntopf

Texto completo:

HTML

Resumen

Introdução: Passiflora cincinnata Mast (maracujá do mato), pertencente à família Passifloraceae é bastante utilizada na fitoterapia, apresentando resistência a doenças e pragas, longevidade, adaptação a condições climáticas e maior concentração de componentes químicos destinados à indústria farmacêutica, associado a diversas potencialidades, quase inexploradas.
Objetivos: caracterização fitoquímica e a investigação da atividade antimicrobiana e modulatória dos extratos hidroalcoólicos das partes aéreas secas (folhas, haste, cascas, polpa e sementes) de Passiflora cincinnata Mast.
Métodos: os extratos foram preparados por maceração em solução hidroalcoólica. Os testes de Concentração Inibitória Mínima foram realizados pelo método da diluição em caldo frente à linhagem de Pseudomonas aeruginosa ATCC 15442 e a atividade moduladora de antibióticos verificada em relação à cepa clinicamente isolada de Pseudomonas aeruginosa 04, a partir da concentração subinibitória. Os antibióticos testados foram: amicacina, gentamicina, ampicilina, benzilpenicilina potássica e oxacilina. A identificação dos compostos (prospecção fitoquímica) foi determinada a partir das mudanças de coloração e formação de precipitados após a adição de reagentes específicos.
Resultados: os extratos não apresentaram atividade antimicrobiana de relevância clínica, sendo a concentração inibitória mínima sempre maior ou igual a 1024 µg/mL. Na modulação de antibióticos, polpa e cascas apresentaram sinergismo, alterando o fenótipo de P. aeruginosa de resistente para sensível, ambas quando associadas à amicacina. O extrato da polpa também potencializou o efeito dos betalactâmicos benzilpenicilina potássica e oxacilina. Caules, sementes e folhas não expressaram atividades modulatórias. A prospecção fitoquímica qualificou os metabólitos secundários: taninos condensados, flobacênicos, flavonas, flavononóis, flavonóis, xantonas, chalconas, auronas, flavanonas, leucoantocianidina, catequinas e alcalóides.
Conclusões: o efeito combinado dos extratos hidroalcoólicos da polpa e das cascas de P. cincinnata Mast. aos antibióticos constitui uma nova possibilidade terapêutica na elaboração de um fármaco com multidrogas.




Copyright (c) 2019 Ana Luiza de Albuquerque Siebra, Izabel Cristina Santiago Lemos, Gyllyandeson de Araújo Delmondes, Larissa Rolim de Oliveira, Anita Oliveira Brito Pereira Bezerra Martins, David de Carvalho Siebra, Henrique Coutinho Henrique, Rosimeire Sabino Albuquerque, Nadghia Figueiredo Leite, José Galberto Martins da Costa, Irwin Rose Alencar de Menezes, Marta Regina Kerntopf

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional.